Santa Casa BHCEMSão LucasIEPFunerária Santa Casa BHIGAP


Responsabilidade Ambiental

10/01/2017

     
O Grupo Santa Casa BH mantém gerenciamento funcional dos seus resíduos, procedimento que contribui para o controle de infecção hospitalar e de acidentes ocupacionais, além de aprimorar as medidas de segurança e higiene. O trabalho é realizado pelo setor de Gestão Ambiental que atua em todas as unidades do Grupo. O setor desenvolve ainda estudos para avaliar a implantação de medidas de controle ambiental que contribuirão para a preservação do meio ambiente e a boa gestão dos resíduos sólidos.
 
As atividades englobam uma variedade de ações: trabalha-se com planos de gerenciamento para reduzir o risco de acidentes e contaminações; são promovidas capacitações sobre descarte adequado de resíduos; são focados ainda os projetos de reciclagem e destinação especial a resíduos eletrônicos, podas e supressões de árvores, auditorias internas, campanhas de educação ambiental e está em fase de estruturação um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) para buscar futuras certificações ambientais. Além disso, o setor visa projetos de captação de água da chuva e energia solar, ainda em fase de levantamento de dados. O trabalho envolve também atividades para Licenciamento Ambiental, vital em uma instituição desse porte.


 
Com a contribuição de todos é possível minimizar os impactos causados pela intervenção humana, proporcionando ações mais sustentáveis. Para conscientizar os funcionários sobre a importância do gerenciamento de resíduos nas unidades e tornar acessíveis informações sobre o Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde (PGRSS), o setor realiza diversos treinamentos, principalmente das áreas assistencial e de higienização da instituição - que são orientadas quanto à necessidade do descarte correto do lixo produzido em seu processo de trabalho.

O setor também é responsável pela coordenação do programa ‘Consumo Consciente’, que tem por objetivo conscientizar os funcionários sobre a responsabilidade de todos na utilização de recursos, conservação de equipamentos e zelo com as instalações da instituição. Na primeira etapa - com a proposta de diminuir o consumo de copos descartáveis - a quantidade deste material foi reduzida em 48% em um ano. 

 
Desde o início do projeto em 2015, foram realizados treinamentos e campanhas para orientar funcionários, pacientes e acompanhantes quanto à necessidade crescente de economia de água e energia. Foram feitas adequações estruturais como instalação de torneiras com acionamento automático em diversos setores e realizada a instalação de caixas acopladas de 25 litros nos sanitários, evitando o acionamento manual contínuo. As torneiras de cotovelo do Centro Cirúrgico foram substituídas por equipamentos de acionamento por pedal com desligamento automático. 
 
TRANSPORTE, TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS:
 
1.227 TONELADAS (JANEIRO A NOVEMBRO DE 2016)
 
RECICLAGEM:
 
• Volume reciclado: cerca de 14 toneladas de resíduos sólidos e 150 litros de resíduos líquidos.
 
• Materiais recicláveis: papelão, papel de impressão, jornais, revistas, sucata, galões plásticos, fixador, revelador, películas de raio X, banners, cartuchos e toners de impressoras, eletrônicos, pilhas, baterias, óleo de cozinha etc.
 
• Receita com a venda de material reciclável: R$ 6.604,00 (maio a novembro de 2016)