Santa Casa
Santa Casa BH São Lucas SCBH Ensino e Pesquisa Funerária Santa Casa BH IGAP CEM


Parceiros do bem

03/08/2015

     
Convicta de que a alegria faz bem à saúde, a Santa Casa BH abre suas portas para pessoas e organizações dispostas a doar um pouco de tempo e trabalho para tornar o período de internaçãomais leve e feliz: com a ajuda desses voluntários, o ambiente fica mais propício à recuperação dos pacientes.
 
Na Pediatria, vários grupos promovem ações motivacionais para complementar a assistência médica de cerca de 100 crianças internadas na unidade. As tardes de terça e quinta-feira são de muitas risadas com a visita dos palhaços profissionais especialistas em ‘besteirologia’do ‘Instituto Hahaha’.
 
A imersão no mundo das fábulas e fantasias é outro recurso utilizado pelas voluntárias do projeto ‘Livro ao Vivo’ para confortar os pacientes mirins: as quintasfeiras e domingos são dias de contar histórias para estimular aimaginação e incentivar a prática da leitura. Já os integrantes do ‘Curando com um Sorriso’ dedicam um domingo do mês à ‘distribuição de esperança’.
 
Com narizes de palhaços, perucas coloridas e instrumentos musicais, eles divertem pais e filhoscom brincadeiras e cantigas de roda. Na Nefrologia, os ‘DoutoresPalhaços de BH’ definem uma segunda-feira do mês paralevar bom humor e descontração às crianças que fazem sessão de hemodiálise.
 
Muitas pessoas também dedicam suas horas livres para levar conforto aos adultos internados no hospital. Os ‘Doutores Só Risos’ visitam nos fins de semanas os pacientes da Unidade de Cuidados Prolongados que atende cerca de 65 pessoas que necessitam de cuidados específicos de reabilitação.
 
A música também tem papel importante na recuperação dos enfermos e na humanização do ambiente hospitalar: o violinista Tiago Oliveira dedica um sábado do mês aos pacientes do 7º e 8º andar da SCBH. Neste dia, ele consegue visitar mais de 230 leitos. Na
Clínica Neurológica, os pacientes participam quinzenalmente de uma seresta com o violonista Jésus Silva Barcelos. Eventualmente, o músico Wallison Adriano Maurício canta MPB para os pacientes da Clínica Cardiológica.
 
POR AMOR ÀS GESTANTES
 
Na Maternidade Santa Casa BH, a presença das doulas faz a diferença no trabalho de pré-parto, parto e pós-parto das gestantes. Ao todo, 12 voluntárias se dedicam para acompanhar e dar suporte físico e emocional às parturientes. Entre as atividades destacam-se a ajuda para encontrar posições mais confortáveis para o trabalho de parto e a sugestão de formas eficientes de respiração e medidas naturais capazes de aliviar as dores.
 
Marta Moreira Modesto é a doula mais antiga da maternidade: estou aqui há 7 anos. A sensação de ajudar as gestantes nesta hora tão delicada e significativa de suas vidas é indescritível. Trabalhamos com seriedade e disciplina, oferecendo atenção e carinho e recebemos muito mais em troca. Essa relação nos fazsentir paz de consciência por contribuir com o próximo”.
 
44 ANOS DE DEDICAÇÃO AOS PACIENTES

 
Quando o assunto é preocupação com o próximo, merece destaque o trabalho das 160 integrantes da Associação de Voluntárias da Santa Casa (Avosc). Elas fazem intervenções diárias nos 13 andares do hospital e são fundamentais na humanização do tratamento dos pacientes. Nas datas comemorativas - Festa Junina, Dia das Crianças e Natal, elas distribuem lanches, presentes, carinho e afeto.
 
Criada em 1971, a Avosc tem a missão de distribuir bens materiais e, principalmente, amor, atenção e tempo. Suas açõesincluem: doação de medicamentos, disponibilização de valestransportespara a locomoção de pacientes, distribuição de objetos de higiene pessoal, pijamas, camisolas, cobertores e roupas, doação de kits de enxoval para bebês e bazar. O valor arrecadado com a venda das roupas é usado para comprarparte dos remédios, cadeiras de rodas, muletas e coletes ortopédicosdoados aos enfermos.
 
Em 2014, a associação atendeu mais de 26.500 pacientes e doou cerca de 190.680 unidades de remédios, 12.800 peças de cobertores e roupas, cerca de 27 mil roupinhas para recémnascidos, 510 quilos de alimentos (biscoitos e sucos) e 10 televisões (distribuídas pelos setores do hospital).
 
Algumas iniciativas pontuais são realizadas também pela Avosc para melhorar a infraestrutura do hospital. Uma das voluntárias realizou uma campanha para captar recursos para reformar as 80 cadeiras de acompanhantes da Unidade Pediátrica da SCBH.
 
Outra atividade de vital importância é o ‘Curso para Gestantes’, promovido gratuitamente pela Avosc e a Maternidade Santa Casa BH na última quinta-feira de cada mês. Por ano, cerca de 280 gestantes são preparadas por uma equipe multidisciplinar para o momento do parto e os primeiros cuidados com o bebê.
 
As participantes são encaminhadas pelo Centro de Referência de Assistência Social da Prefeitura de Belo Horizonte e ganham kits de enxoval para bebês, café da manhã e da tarde, vale-refeição e vale-transporte.
 
EM BENEFÍCIO DA MELHOR IDADE
 
No Instituto Geriátrico Afonso Pena (IGAP) - unidade do GSCBH que oferece moradia e assistência humanizada a 40 idosos - a visita de voluntários leva ânimo e alegria aos moradores. Muitos se dedicam há décadas a esse trabalho e criaram laços de amizade com os idosos. Um exemplo é Maria da Glória Esteves, que há 30 anos organiza algumas festas de aniversário e almoços comemorativos.
 
Outros voluntários desenvolvem atividades que complementam o serviço prestado pelos profissionais da equipe multidisciplinar da unidade: o músico Hélio Adriano é o responsável pelas apresentações musicais durante as festas; o cabeleireiro Edir Medeiros faz escova, penteado e corta o cabelo das idosas para as comemorações; o grupo ‘Anjos da Dança’ promove um baile sempre no penúltimo domingo do mês; os jovens do grupo ‘Camaradas da Alegria’ se vestem de palhaço e visitam a instituição uma vez por mês; além daqueles que doam medicamentos, mobiliários e outros recursos materiais e os que dedicam um pouco do seu tempo para apenas jogar truco e bingo com os idosos.