Santa Casa BHSão LucasSCBH Ensino e Pesquisa Funerária Santa Casa BHCEMIGAP


Lançada campanha Setembro Dourado

06/09/2018

     

A Santa Casa BH se uniu à Casa de Acolhida Padre Eustáquio (CAPE), à Fundação Sara Albuquerque Costa, à Casa Aura e ao Instituto HAHAHA para divulgar a campanha “Setembro Dourado” – criada para conscientizar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil. O lançamento oficial foi realizado no dia 5 de setembro, no Salão Nobre da SCBH, e contou com a participação do provedor, Saulo Coelho, diretores e funcionários da instituição, representantes de todas as casas de apoio, crianças em tratamento oncológico e seus familiares. Destaque para a participação especial do Coelhão, Galo Doido e Raposão, mostrando a sensibilização dos principais clubes mineiros com a causa, além de integrantes dos projetos sociais “Liga da Justiça” e “Mente Feliz”. 

A emoção tomou conta dos participantes quando, Rogério Alexandre, de 21 anos, contou sua experiência durante o tratamento oncológico aos 11 anos de idade. Ele disse que é a prova viva de que o câncer tem cura e agradeceu: “o Dr. Joaquim Caetano é um ‘anjo’ em minha vida. Ele e toda a equipe cuidaram de mim. Atualmente, sou pai, estudo, namoro e dou muito valor a tudo que tenho. Passei por muitos momentos difíceis e pude contar com a Santa Casa BH”, contou. Outra participação especial foi de Cristiane Miranda, jornalista, autora do livro “Mamãe Coragem” e mãe do Caio, criança acompanhada no ambulatório de Oncologia Pediátrica da instituição.

Na abertura, o provedor Saulo Coelho destacou a importância do trabalho realizado pela Oncologia Pediátrica da instituição e da união de forças com as casas de apoio: “essa colaboração é imprescindível para conseguirmos fazer o melhor para os nossos pacientes mirins. Estamos muito orgulhosos de ver tanta gente reunida em prol desta causa”.

Durante todo o mês serão promovidas diversas ações educativas e lúdicas para chamar a atenção para os principais sintomas e sinais do câncer infantojuvenil, valorizar e incentivar as crianças em tratamento, apoiar seus familiares, celebrar a vitória dos pacientes mirins que chegaram ao fim do tratamento e honrar a memória daqueles que perderam a vida lutando contra a doença.