Conhece os idosos do IGAP?

03/07/2019

     
Maria Aparecida é exemplo de força e fé para a família.
Uma mulher com o coração do tamanho do mundo. Essa é a frase que resume a vida de Maria Aparecida Farnese Mattos – de 88 anos e moradora do Instituto Geriátrico Afonso Pena desde 2007. Nascida em Pains, em uma família de oitos filhos, ela morou em Formiga, Barbacena e São Paulo para ajudar os irmãos, sobrinhos e afilhados. Na década de 1960, veio para Belo Horizonte em busca de melhores oportunidades e conheceu Sebastião, com quem foi casada poucos anos. Ele faleceu precocemente por conta de um infarto. Aparecida não teve filhos biológicos, mas ganhou uma “filha do coração”: Raquel Farnese Mattos, mãe da Giovana (de dois anos). De acordo com Raquel, sua mãe sempre foi exemplo de força e fé. “Ela tinha um olhar sensível ao próximo e era engajada em projetos humanitários e ações sociais. Também dava muita importância à educação e foi uma grande incentivadora para a minha formação”, conta.

Em 2006, Maria Aparecida recebeu o diagnóstico de Alzheimer. Para Raquel, a notícia foi um pesadelo: “ela apresentava comportamento de risco e o médico sugeriu que a institucionalizasse, pois assim teria uma assistência mais ampla. A indicação do IGAP veio através de uma amiga, que era funcionária da Santa Casa BH e havia trabalhado com minha mãe. Ambas eram técnicas em Enfermagem. Eu sei que Deus tem um propósito para nossas vidas e coloca anjos em nosso caminho e esses anjos estão no IGAP. A Santa Casa BH sempre foi um lugar muito importante e querido pela minha mãe. Por isso, me sinto mais tranquila e confiante, porque sei que ela está num lugar onde nossos corações foram preenchidos com bons sentimentos”.