Santa Casa BHCEMSão LucasIEPFunerária Santa Casa BHIGAP


Atenção máxima

08/02/2017

     
Em função do surto de febre amarela silvestre em Minas Gerais, o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do Grupo Santa Casa BH, o Núcleo de Vigilância e Epidemiologia Hospitalar, o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho e a Assessoria de Comunicação Institucional promoveram, nos dias 27 e 30 de janeiro, a palestra ‘Orientação sobre a febre amarela’.
 
Na ocasião, os médicos do SCIH, dr. Jorge Luiz Saliba e dra. Cláudia Murta de Oliveira, salientaram que ainda não há casos de transmissão de febre amarela urbana em Belo Horizonte, que a doença é grave e deve ser prevenida com vacinação. Ao todo, 145 funcionários participaram dos 2 dias de atividades.
 

 
Entre os assuntos discutidos, destacaram-se as características gerais da doença viral, o cenário epidemiológico em Minas Gerais, mapa de distribuição dos casos confirmados no Estado, modo de transmissão, manifestações clínicas, diagnóstico, tratamento e orientações para vacinação contra a febre amarela, além do fluxograma para utilização nos casos de suspeita da doença nos pacientes da instituição.
 
A médica do SCIH, dra. Cláudia Murta de Oliveira, alertou: “não estamos em situação de risco de transmissão urbana da febre amarela. No entanto, se alguém for viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata - principalmente nos vales do Mucuri e Rio Doce - precisa se vacinar com antecedência de 10 dias. É importante verificar também se o cartão de vacinação está atualizado, não só com a de febre amarela, mas de outras que porventura estejam atrasadas”.
 
O recomendado é que se tome 2 doses da vacina para proteção vitalícia da febre amarela. A vacina está disponível, gratuitamente, durante todo o ano, nas 36 mil salas de vacinação distribuídas em todo o País.